O que são plantas atrativas e repelentes?

Gabriela Pastro

Olá, pessoal! Na semana passada falamos das plantas companheiras e antagônicas e hoje vamos voltar a falar de alelopatia, porém de uma maneira diferente. Quando falamos de plantas companheiras e plantas antagônicas estamos descrevendo a relação entre duas ou mais plantas, já quando falamos de plantas repelentes e atrativas estamos falando da relação de plantas com animais, no caso, potenciais praga de nossa horta.

Capuchinha ©Sabor de Fazenda

Capuchinha ©Sabor de Fazenda

Podemos ter em nossa horta plantas que liberam substâncias que atraem determinadas pragas, sendo chamadas de plantas atrativas ou plantas-armadilha. Elas podem ser consideradas armadilhas, pois a alta concentração de pragas que se estabelece na planta torna as próprias pragas vulneráveis a parasitas, predadores e doenças, quais acabam morrendo, ou seja, diminuem a concentração de pragas da horta. Cabaça (Lagenaria vulgaris) e tajujá (Cayaponia tayuya) são exemplos de plantas atrativas.

A capuchinha (Tropaeolum majus) também é uma planta atrativa, ela atrai a lagarta da couve, também chamada de curuquerê-da-couve (Ascia monuste orseis), e deixa as outras plantas de nossa horta livres dos ataques. A borboleta desta espécie apresenta asas na coloração branco-amarelada a esverdeada com as bordas escuras. A fêmea coloca seus ovos na parte debaixo das folhas e quando estes eclodem em lagartas já começam a se alimentar das folhas. As plantas mais atacadas são: couve, agrião, brócolis, rúcula e mostarda.

Por outro lado, existem as plantas chamadas de repelentes, quais afastam algumas pragas específicas do nosso canteiro de ervas e hortaliças. O que acontece é que alguns metabólitos secundários, liberados via raízes ou folhas, acabam fazendo este papel de afastar pragas. As plantas repelentes mais popularmente conhecidas são:

  • Citronela (Cymbopogon nardus): erva perene do mesmo gênero que o capim-limão. Apresenta folhas aromáticas, ásperas, pontudas, com mais de 50 cm de comprimento. Constitui-se em touceiras compactas e grandes. Suas folhas são utilizadas para a fabricação de repelentes, aromatizadores de ambientes, sabonetes, cremes e outros produtos. O óleo essencial presente nas folhas é responsável por repelir mosquitos, borrachudos, traças e formigas.
Citronela (Cymbopogon nardus)  ©Sabor de Fazenda

Citronela (Cymbopogon nardus) ©Sabor de Fazenda

  • Tagete ou cravo-de-defunto (Tagetes erecta): herbácea anual, ereta, ramificada, de 60-90 cm de altura. Folhas com cheiro forte característico. As flores possuem tonalidades amarela e alaranjada, que lembram cravos, formadas principalmente na primavera e verão. A presença desta planta em um canteiro funciona como um repelente natural de pragas, protegendo as outras plantas que forem plantadas no mesmo local. Dela pode ser feito um chá para borrifar nas plantas que se deseja evitar pragas (veja receita no final do texto). Devido sua beleza, ela é comercializada como flor de corte.
Tagete (Tagetes erecta)  ©Sabor de Fazenda

Tagete (Tagetes erecta) ©Sabor de Fazenda

  • Mentas (Mentha sp.): existe uma variedade muito grande de hortelãs, umas mais e outras menos aromáticas, porém todas elas são responsáveis por liberarem seus óleos essenciais na atmosfera que são capazes de repelirem diversos insetos. Porém, como já dito anteriormente, a hortelã apresenta raiz invasora e deve ficar em um vaso ou canteiro sozinha, somente a presença dela na horta afasta alguns tipos de pragas.
Hortelã-portuguesa (Mentha x villosa)  ©Sabor de Fazenda

Hortelã-portuguesa (Mentha x villosa) ©Sabor de Fazenda

O nim (Azadirachta indica) é considerado uma planta inseticida, sua forma processada é muito difundida na agricultura orgânica. Porém, seu poder apenas pela presença em um canteiro ainda está em estudo. Conheça melhor esta incrível árvore neste post.

Aprenda a fazer uma calda inseticida de Tagete (Tagetes erecta), indicada para repelir de insetos:

Material: 200 gramas de tagete (todas as partes da planta) e 1 litro de álcool.

Passo a passo: macere a tagete em um pouco de álcool, depois acrescente o restante do álcool, por fim, deixe a mistura descansar por 12 horas. Dilua 50 mL deste preparado em 1 litro de água e pulverize nas plantas. O restante do concentrado pode ser guardado até um ano e meio em local protegido do sol, assim quando for necessário é só realizar uma nova diluição.

Obrigada, pessoal!

Av. Nadir Dias de Figueiredo, 395 – Vila Maria, São Paulo

 

Sobre Sabor de Fazenda

Somos um viveiro orgânico de ervas e temperos situado na Vila Maria, São Paulo. Oferecemos mais de 90 espécies de mudas de ervas e temperos orgânicos e uma série de atividades, como cursos para crianças e adultos, que se encantam ao aprender o valor e os benefícios de cada planta e a delícia de fazer seu próprio jardim de ervas.
Esse post foi publicado em alelopatia, plantas atrativas, plantas repelentes, pragas, Sem categoria e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s